Parque Tecnológico da UFRJ abre chamada pública para instalação de novas empresas

Parque Tecnológico da UFRJ abre chamada pública para instalação de novas empresas

02/02/2016
Estão disponíveis espaços para ocupação de até 16 salas e dois galpões. Companhias de micro, pequeno e médio porte terão prioridade. Empresas saídas há um ano ou menos de incubadoras de todo o país terão custos diferenciados. O Parque Tecnológico da UFRJ abriu edital para instalação de novas empresas. Serão oferecidas salas e galpões para empresas que atuam na área de pesquisa e desenvolvimento, organizações sem fins lucrativos e demais companhias que mantenham ou pretendam estabelecer parcerias em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). No total, estão disponíveis 808 metros quadrados de escritórios para ocupação de até 16 salas (uma empresa pode ficar com uma ou mais salas) e 377 metros quadrados para ocupação de até 2 galpões (empresas que necessitem uma estrutura para laboratório e/ou de uma planta-piloto). O edital disponível tem o formato de Chamada Pública e ficará aberto por um ano, podendo ser renovado. As empresas serão classificadas de acordo com as seguintes modalidades e portes, baseadas na receita operacional bruta, conforme seguintes os critérios estipulados pelo BNDES: – Micro, pequenas e médias empresas: receita operacional bruta anual menor ou igual a R$ 90 milhões. – Média-grande e grande empresas: receita operacional bruta anual maior que R$ 90 milhões. As empresas interessadas terão à disposição espaço em dois prédios do Parque. Os valores do metro quadrado para o prédio em formato de salas comerciais e para galpões estão disponíveis no site www.parque.ufrj.br. Dentro deste custo operacional, além da oferta da infraestrutura urbanística do Parque, as micro, pequenas e médias empresas que se instalarem no Parque terão acesso a serviços de assessoria de gestão de negócios, comunicação, ampliação de networking e articulação corporativa (integração das empresas com universidade e entre empresas de pequeno porte com grandes dos setores que atuam). No caso de empresas saídas de incubadoras nacionais há um ano ou menos, estes valores terão desconto de 50% nos primeiros 24 meses de contrato. As médias-grandes e grandes empresas que se interessarem pelo espaço somente poderão ocupar área de até 400 metros quadrados de extensão. “Nosso objetivo é estimular o empreendedorismo, incentivar e auxiliar o crescimento de pequenas e médias empresas que são capazes de transformar inovação em bens reais para a sociedade. Este é o objetivo e missão do Parque. Não oferecemos apenas um espaço, mas damos as reais condições para que uma empresa inovadora e que invista em Pesquisa e Desenvolvimento seja sustentável”, diz Mauricio Guedes, diretor do Parque Tecnológico da UFRJ. As empresas interessadas devem apresentar documentação e proposta descritas na chamada pública. As propostas serão qualificadas pela Comissão de Avaliação do Conselho Diretor do Parque, formada por representantes da UFRJ e da Fundação Coppetec, instituição gestora do Parque. Sobre o Parque Tecnológico O Parque Tecnológico da UFRJ está situado no campus da UFRJ, na Ilha da Cidade Universitária, em uma área de 350 mil metros quadrados. Inaugurado em 2003, o Parque tem o objetivo de estimular a interação entre a Universidade – alunos e corpo acadêmico – e as empresas. Dessa forma, é capaz de transformar conhecimento em emprego e renda por meio da oferta de produtos e serviços inovadores para a sociedade. Hoje estão instalados centros de pesquisa de 13 grandes empresas, 6 pequenas e médias, além de 6 laboratórios da própria UFRJ, entre eles o LabOceano – primeira instituição a ser instalada no Parque. No Parque, está instalada também a Incubadora da Coppe, que, atualmente, abriga 27 start ups. Outras 59 empresas de base tecnológica foram formadas na Incubadora. Neste ambiente de inovação, encontram-se ainda os centros de pesquisa de outras duas companhias, GE e L´Oréal, localizados na Ilha de Bom Jesus. Desde a sua inauguração, os investimentos no Parque alcançaram mais de R$ 1 bilhão. Atualmente, cerca de 1.500 pessoas trabalham no Parque.