Incubadora de Empresas da Coppe/UFRJ é destaque em matéria publicada no Jornal O Globo

Incubadora de Empresas da Coppe/UFRJ é destaque em matéria publicada no Jornal O Globo

03/08/2015
Nesta segunda, 3 de agosto, a Incubadora de Empresas da Coppe/UFRJ, parte integrante do Parque Tecnológico, foi destaque em matéria publicada no caderno Negócios e Leilões do Jornal O Globo. A matéria ressaltou a importância da Incubadora como um dos principais ambientes de inovação do Rio de Janeiro. Confira o texto completo abaixo. Suportes que ancoram ideias inovadoras O número de incubadoras em atividade no país ultrapassa a casa dos 400. A cada ano, a procura pelos centros de incubação cresce 20%, em média Elas fornecem o suporte necessário para transformar boas ideias em produtos e serviços inovadores. De aplicativos para celular a novos tipos de biocombustível, ajudam a formatar empreendimentos de sucesso nas mais diferentes áreas. Em ciclos de trabalho que duram de um a três anos, acompanham todo o processo de maturação do projeto, até que esteja apto a ganhar o mercado. Essa é a chave do trabalho das incubadoras de empresas, entidades que registram uma demanda cada vez maior no país. São ambientes projetados especialmente para abrigar startups e pequenas empresas, oferecendo infraestrutura em tecnologia, pesquisa e gestão de negócios. Levantamento feito pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) mostra que existem mais de 400 incubadoras em atividade no país. A cada ano, a procura pelos centros de incubação cresce 20%, em média. A FORÇA DAS INCUBADORAS NO PAÍS O Brasil tem mais de 6.200 empreendimentos apoiados neste modelo de trabalho, segundo a Anprotec. Juntos, respondem por um faturamento de R$ 533 milhões (incubadas)e de R$ 4,1 bilhões (graduadas). Cerca de 80% dos negócios que passam por estes ambientes permanecem no mercado. O processo de incubação dos projetos, selecionados através de edital, traz obrigações e direitos. As empresas pagam taxa mensal pelo uso da infraestrutura física e tecnológica, proporcionalmente ao espaço e à demanda de cada uma. Depois de graduadas, algumas contribuem ainda com uma taxa de sucesso (de 1% a 2% do faturamento líquido) pelo mesmo tempo que permaneceram na incubadora. A lncubadora da Coppe/UFRJ disponibiliza sala de uso privativo, auditório, salas de reunião, internet, telefonia e pacote de serviços para o desenvolvimento da empresa na área de negócios. O Instituto Gênesis oferece serviços de recepção, mensageiro, acesso à internet e espaço comum para treinamentos e reuniões. Também há espaço para instalação da empresa, em salas de até 45 metros quadrados. GRUPOS DE PESQUISA No Rio, um dos principais ambientes voltados para a inovação é a Incubadora de Empresas da Coppe/UFRJ. Fundada em 1994, oferece estímulo a projetos baseados no conhecimento tecnológico, a partir de grupos de pesquisas da própria universidade. São 31 empresas residentes e 54 já graduadas. Ao todo, elas registraram faturamento de R$ 289 milhões em 2014, um crescimento de 22% sobre o ano anterior. Passaram pela Coppe/UFRJ empresas que se tornaram referência em suas áreas de atuação, como a Confiance Medical. Inaugurada em 2002, começou fazendo manutenção em equipamentos para videolaparoscopia e endoscopia digestiva. Em 2007, iniciou as atividades de pesquisa, desenvolvimento e fabricação de equipamentos médicos, setor tradicionalmente dominado por multinacionais. Depois de ficar quase dois anos incubada, os sócios Cristiano Brega, Guarany Guimarães, Bruno Braga e Fernando Mágero expandiram os negócios. Hoje, a Confiance tem mais de 2 mil equipamentos vendidos no país, utilizados em intervenções como redução de estômago, cirurgia de próstata e troca de válvula cardíaca. Entre 2011 e 2014, registrou média de crescimento de 30% ao ano, com faturamento de R$ 10,8 milhões no último exercício. “A incubadora é um grande diferencial, principalmente para nossos empreendedores típicos, que são alunos de mestrado e doutorado em áreas tecnológicas. A maioria tem sólida formação técnica, mas um total desconhecimento na área de negócios. Assim, procuramos dar apoio na transformação de tecnologia em inovação, permitindo uma passagem mais estruturada do laboratório para o mercado”, explica a coordenadora da Incubadora de Empresas da Coppe/UFRI, Regina Faria. SERVIÇOS DE ASSESSORIA O Instituto Gênesis da PUC-Rio segue pelo mesmo caminho. Desde sua fundação, em 1997, já incubou cerca de 90 empresas, a maioria nos setores de Economia Criativa e Tecnologia da Informação e Comunicação. Elas assinam contratos com duração de dois a três anos, que garantem serviços de assessoria e consultoria especializada em gestão, marketing, financeiro, tecnologia e jurídico, entre outros. Uma das empresas graduadas no Gênesis é a Sieve Price Intelligence, líder na área de monitoramento de preços do e-commerce para varejistas e fabricantes. Fundada em 2010, ela desenvolveu tecnologia que permite aos clientes acompanhar preços e ofertas em tempo real nos sites de compra. Com mais de 8 mil empresas monitoradas, tem cerca de 4 milhões de produtos catalogados e, somente no ano passado, registrou mais de 100 milhões de alterações de preços. As incubadoras também chegaram com força ao interior do estado. No Norte Fluminense, o Instituto Macaé de Ciência e Tecnologia concluiu este ano a primeira etapa de capacitação de 14 empresas. Entre elas, a BR Solutions, que oferece soluções personalizadas em Tecnologia da Informação (TI). O empresário Bruno Silva desenvolveu a ferramenta, conseguiu o primeiro cliente e buscou a incubadora para estruturar seu negócio. O principal software da empresa – o BR-LOG, para gerenciar soluções em transporte de carga – foi responsável por um faturamento inicial de RS 10 mil por mês. Depois de ampliar a base de clientes, os sócios já projetam um crescimento anual de 300%