Um espaço para inovação e articulação de negócios

Um espaço para inovação e articulação de negócios

17/11/2015

Fonte: O Globo|

cetic_miniO Parque Tecnológico da UFRJ iniciou o primeiro programa de pós-incubação do Brasil. Destinado a empresas saídas de incubadoras de todo o país, o programa é uma parceria entre o Parque e a Incubadora de Empresas da Coppe/UFRJ. O objetivo é dar apoio para estruturação e crescimento dessas empresas, além de ajudar na articulação dos negócios e no desenvolvimento da inovação.

O Parque Tecnológico irá oferecer apoio para instalação e infraestrutura, com oferta de preços diferenciados de uso do espaço: 50% de subsídio nos dois primeiros anos e 30% nos anos seguintes. Além disso, o programa oferece um pacote de serviços que inclui entrevista e construção do diagnóstico de gestão da empresa; construção do plano de acompanhamento gerencial e definição de metas de melhoria; construção de um plano de inovação e cooperação, assim como de um plano de comunicação e imprensa, acompanhamento e avaliação periódicos dos planos desenvolvidos e programa de mentoria em parceria com a Incubadora de Empresas da Coppe.

José Carlos Pinto, diretor executivo do Parque Tecnológico da UFRJ, explica que o objetivo do programa de pós-incubação, que é pioneiro, é apoiar uma empresa de tecnologia que, muitas vezes, quando sai de uma incubadora, não está forte o suficiente para abandonar o ambiente universitário:

— Este momento de saída de uma incubadora é crucial para que esta companhia continue sua trajetória de crescimento. Estas empresas já mostraram seu potencial. A ideia, aqui, não é apostar numa boa ideia, mas sim numa boa empresa, e dar as condições necessárias para que ela cresça ainda mais.

PROCESSO SELETIVO

Recém-saída da Incubadora de Empresas da Coppe, a AquaFluxus já passou pela primeira etapa do processo seletivo para o programa de pós-incubação do Parque Tecnológico da UFRJ. Osvaldo Rezende, diretor da empresa — uma consultoria em projetos de engenharia —, diz que o período de incubação foi essencial para o amadurecimento do negócio e dos próprios sócios, e eles julgam importante estar envolvidos num ambiente onde circulam ideias inovadoras.

— Com a instalação da nova sede da AquaFluxus no Parque Tecnológico, esperamos intensificar ainda mais essa nossa vocação para oferecer à sociedade o que há de mais avançado na área de gestão de risco de inundações e manejo de águas pluviais. Acreditamos, ainda, que podemos desenvolver mais nossas práticas empresariais, tanto por estar num ambiente rico em negócios e perspectivas de interações com grandes empresas, quanto pela especial relação do Parque Tecnológico da UFRJ com as empresas recém-saídas da incubação.

As empresas que desejam se instalar no Parque Tecnológico devem se candidatar por meio de edital no site www. parque.ufrj.br. Este edital refere-se à chamada pública para espaços disponíveis para a instalação de empresas de todos os portes, entre elas as pós-incubadas, que terão serviços e valores diferenciados.

O Parque Tecnológico da UFRJ foi inaugurado em 2003 e está situado numa área de 350 mil metros quadrados, onde estão instaladas 47 empresas, sendo 12 grandes, seis pequenas e médias e 29 startups, além de seis laboratórios. Desde a sua inauguração, os investimentos no Parque alcançaram mais de R$ 1 bilhão.