GE e Parque Tecnológico da UFRJ geram projetos de inovação para o Brasil

GE e Parque Tecnológico da UFRJ geram projetos de inovação para o Brasil

27/05/2015

Desde 201, parceiros desenvolvem pesquisas aplicadas
para grandes desafios em setores estratégicos

Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2014 – Antecipando a descoberta de novas tecnologias por meio de uma nova unidade do Centro de Pesquisas Global no Rio de Janeiro (RJ), a GE firmou acordo com o Parque Tecnológico da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) com o objetivo de fortalecer a produção local de pesquisas aplicadas, focadas em solucionar grandes desafios do mercado em segmentos estratégicos – desde petróleo e gás, passando pela engenharia e automação avançada, até aviação civil. O acordo permitirá a identificação de oportunidades de pesquisa conjunta cujos benefícios irão superar os limites do laboratório e chegarão diretamente a clientes e parceiros da GE e da UFRJ nos próximos anos.

Oficialmente em vigor desde setembro de 2011, quando a GE iniciou as operações de seu novo Centro de Pesquisas Global de forma temporária em um dos edifícios do Parque Tecnológico da UFRJ, o acordo permitiu à companhia fortalecer o alinhamento de suas áreas de pesquisa e desenvolvimento com universidades do País. O intuito é encontrar, também no meio acadêmico, parcerias sólidas para produzir soluções localizadas capazes de atender a diferentes necessidades do mercado. Entre os parceiros com os quais a GE já possui memorandos de entendimento assinados está a COPPE-UFRJ, considerado um dos maiores centros de ensino e pesquisa da América Latina e que, com 116 modernos laboratórios, reúne o maior complexo laboratorial do Brasil na área de engenharia.

“A construção de uma aliança produtiva com o Parque Tecnológico da UFRJ é um movimento muito importante dentro do nosso foco em entender as necessidades de grandes clientes e parceiros locais. Nesse contexto, é fundamental trabalhar ao lado das melhores instituições de pesquisa e desenvolvimento para levar ao mercado tecnologias específicas, capazes de atender às demandas mais desafiadoras no médio e no longo prazo”, afirma Ken Herd, líder do Centro de Pesquisas Global da GE no Brasil.

Da academia para o mercado

Desde o segundo semestre de 2011, a GE realiza roadshows nas principais universidades do País, entre elas a UFRJ, em busca de parcerias e intercâmbio de conhecimento e tecnologia. Esse tipo de parceira traz benefícios para ambas as partes, uma vez que leva ao ambiente acadêmico pesquisas que podem se tornar soluções e tecnologias comerciais. E os pesquisadores da GE ganham espaço de ponta para conduzir seu trabalho.

Além da cooperação com o Parque Tecnológico da UFRJ, a GE também apoia mundialmente iniciativas da Universidade de Stanford, do Instituto de Tecnologia da Índia e da Universidade Técnica de Munique, entre outras. A companhia também desenvolve projetos em parceria com empresas globais como Petrobras, Vale, Chevron, Statoil e Nestlé.

“Principal campus da UFRJ, a Ilha do Fundão passou a atrair centros de pesquisas nos anos 70 com a chegada da Petrobras. Nosso Parque Tecnológico reúne, hoje, dezenas de empresas – de start-ups a grandes players globais, como a GE, em um ambiente de pesquisa e empreendedorismo. A GE é extremamente relevante para nós, uma empresa que há mais de um século tem a marca da inovação e que vai se dedicar a importantes desafios  tecnológicos no Brasil”, diz Mauricio Guedes, diretor do Parque Tecnológico da UFRJ.

Centro de Pesquisas Global da GE no Brasil

O Brasil foi escolhido entre os mais de 160 países em que a GE atua para a instalação do seu nono centro de pesquisas global, o primeiro na América Latina. Com investimentos de mais de R$ 1 bilhão, as pesquisas são focadas nas áreas de Sistemas de Bioenergia, Sistemas Offshore & Submarinos, Sistemas Inteligentes e Software & Produtividade. O objetivo é atender aos desafios locais em infraestrutura e colaborar para suprir as necessidades do País. Hoje, o centro já conta com 160 funcionários, incluindo 140 pesquisadores e engenheiros, e poderá chegar a 600 profissionais até 2020.

 

Sobre o Parque Tecnológico

O Parque Tecnológico da UFRJ iniciou suas atividades em 2003 em uma área de 350 mil metros quadrados no campus da UFRJ, na Ilha da Cidade Universitária. No local, estão instalados centros de pesquisa de 12 grandes empresas, 7 laboratórios e centros de pesquisa, 7 pequenas e médias empresas, além de 26 startups, localizadas na Incubadora COPPE/UFRJ. No total, cerca de duas mil pessoas trabalham nas empresas localizadas no Parque. Somente em 2013, as empresas instaladas no Parque firmaram contratos para o desenvolvimento de projetos de cooperação com a UFRJ no valor de R$ 45 milhões. Em 2012, a área do Parque foi expandida em 240 mil metros quadrados por conta da aquisição de uma área do Exército, na Ilha do Bom Jesus, por parte do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Nesta área, serão instalados os centros de Pesquisa da GE, Ambev e L´Oreal.